O que fazer em Kanchanaburi, Tailândia

Kanchanaburi é uma cidade relativamente pequena, com pouco mais de 30 000 habitantes, localizada cerca de 120 Km a oeste de Bangkok. Ao contrário de muitos outros destinos na Tailândia, não foi completamente invadida pelo turismo, mas ainda assim não existe falta de guest houses, hostels, bares, restaurantes, mercados… tudo aquilo que se espera na Tailândia.

Ainda assim, ainda é num volume normal, e a maioria das atracções não estão sobre lotadas e a cidade ainda não se parece um mega parque de diversões para adultos como Phuket e a maioria das ilhas. A zona ribeirinha de Kanchanaburi é bastante charmosa e a famosa ponte dá-lhe uma carácter, mas devem notar que as maiores atracções estão fora da cidade. Vamos então explorar as melhores coisas para fazer em Kanchanaburi.

Como ir a Kanchanaburi?

O mais provável é que irá de Bangkok para Kanchanaburi, e desde Bangkok existem as habituais vans e mini-autocarros típicos do Sudeste Asiático. No entanto, a melhor opção é mesmo o comboio! É incrivelmente barato, cerca de 100 baht por pessoa e estão a fazer uma viagem histórica. Verdade, não é a forma mais rápida de lá chegar, mas é sem dúvida a mais interessante. Ao fazer este percurso de comboio estarão a fazer parte da infame, Death Railway. Notem no entanto, que existem apenas 2 comboios por dia, pelo que convém planear de acordo com os horários.

O que fazer em Kanchanaburi

Já ouviram falar do rio Kwai? Ou melhor da ponte sobre o rio Kwai? Se sim, vão adorar este artigo… Se não, também 🙂 Mas aconselhamos que vejam este filme antes de ir a Kanchanaburi.

O que fazer em Kanchanaburi

Os caminhos de ferro da morte (Death Railway)

Os caminhos de ferro da morte, também chamados de caminhos de ferro de Myanmar, eram cerca de 415 de caminhos de ferro que ligavam Bangkok na Tailândia e Rangoon em Myanmar. O projecto desta linha foi criado pelos japoneses para resolver o seu problema de logística no sudeste asiático durante a segunda guerra mundial. Para construir a linha os japoneses usaram 60 000 prisioneiros de guerra, 180 000 trabalhadores escravos do sudeste asiáticos (normalmente chamados de Romusha) e ainda 12 000 soldados e engenheiros japoneses e coreanos.

As condições de trabalho e vida durante a construção eram deploráveis, horríveis mesmo. Tão más que cerca de 90 000 romusha, 12 000 prisioneiros de guerra, e até 1000 Japoneses morreram. Todas estas mortes foram causadas por diversas doenças (malária, cólera, disenteria, e úlceras tropicais…), má nutrição, acidentes de trabalho, e pura exaustão.

coisas para fazer em Kanchanaburi

Os caminhos de ferro, em si mesmo, são um feito notável. Num pequeníssimo período de tempo, foram construídos 415 km de caminhos de ferro, através da densa floresta tropical e montanhas. Esta linha tem mais de 600 pontes e foi tudo construído quase sem máquinas e sem logística de apoio. Apesar disto, e de ter sido terminada antes do tempo previsto, o projecto é considerado um erro estratégico porque muito pouca carga foi transportada pelos japoneses durante a guerra. 

Acima de tudo, a construção da linha foi um crime de guerra cometido pelo Japão, e mais um exemplo (negativo) do que a humanidade é capaz de fazer para atingir um objectivo…

O filme “Pode sobre o rio Kwai” (e o livro em que se baseia) foca-se sobretudo na construção da ponte 277 desta linha. Tanto o filme como o livro, são incrivelmente irrealistas e não mostram quão más foram as condições e o sofrimento que aconteceu. De qualquer forma, aconselhamos que vejam o filme.

Museu do Hellfire Pass

Museu do Hellfire Pass

O Hellfire Pass é o corte montanhoso da death railway. A dimensão do corte combinado com a distância e a falta de ferramentas disponíveis tornam esta área da linha a mais famosa e infame. O nome Hellfire (“inferno de fogo”) foi dado pelos prisioneiros de guerra devido ao aspeto da área à noite, com todas as tochas e fogos. Parecia o inferno a arder.

Em 1998 o governo australiano construiu o museu do hellfire pass para homenagear os prisioneiros de guerra e os trabalhadores escravos que sofreram e morreram durante a construção dos caminhos de ferro.

Museu Hellfire Pass coisas para ver em Kanchanaburi

O museu consiste um grupo de fotografias, explicações, videos e captações áudio dos sobreviventes. Vale bem a pena a visita para se perceber melhor o que é o Hellfire pass, a Death Railway e tudo o que aconteceu durante a sua construção e para a segunda guerra no pacífico.

  • Preço: grátis, mas contribuições para o museu são bem vindas
  • Tempo necessário: cerca de 1 hora
  • Como lá chegar: Apanhe o comboio para Nam tok (100 baht) e depois caminhar para estrada principal e apanha o autocarro 8203 (35 baht). Se tiver dúvidas de onde sair, peça ao condutor para o deixar no Hellfire pass museum. Pode também apanhar o autocarro directamente em Kanchanaburi, mas na nossa opinião é muito mais interessante fazer mais uma parte da Death Railway.
Hellfire Pass Museum é uma das melhores coisas pra fazer em Kanchanaburi

Trilho do Hellfire Pass

O trilho do hellfire pass é um trilho que segue uma pequena parte do percurso da death railway. São cerca de 4 Km que foram convertidos num trilho e numa espécie de memorial homenageando as vítimas. O trilho segue exactamente o percurso de parte da death railway, incluindo a o hellfire pass, que fica logo no início. Assim se apenas quiser ver o Hellfire pass, pode lá ir caminhando apenas algumas centenas de metros e voltar atrás. Nós fizemos todo o percurso, porque adoramos fazer caminhadas, e gostamos bastante. Notem que o percurso é muito rochoso e por vezes inclinado, tornando-se um pouco mais difícil do que parece à primeira vista. Levem sapatilhas de caminhada e muita água. 

O que fazer em Kanchanaburi trilho do Hellfire Pass

Durante o trilho use os guias de áudio para aprender acerca do trilho, da sua importância, e ainda as declarações dos sobreviventes. Depois de ler e ouvir todo o terror e sofrimento que lá aconteceu, é desconcertante quão pacífico e bonito é este lugar actualmente. É difícil de acreditar que estamos no mesmo lugar.

  • Preço: grátis. O guia de áudio é também grátis mas tem um depósito de 200 baht.
  • Tempo: 3 a 4 horas para fazer todo o trilho e ouvir e ler as declarações.
  • Como chegar lá: Começa no museu.
Hellfire Pass trilho - itinerario Kanchanaburi

Quedas de água de Sak Noi

Inicialmente nem íamos incluir as quedas de Sak Noi nesta lista, mas a verdade é que são bastante referidas em muitos sites, e especialmente por agentes de viagem… E a verdade é que se não fossem tão facilmente acessíveis diríamos para não ir lá, especialmente durante a época seca. Por outro lado, se tiverem uns minutos a mais, sempre podem ir lá dar uma salto. A nossa experiência em Sak Noi foi no mínimo desapontante. A queda de água simplesmente não tinha água, e o lado no fundo era minúsculo e bem sujinho. Apesar de estar extremamente quente, nem nos passou pela cabeça aproximarmo-nos da água. Talvez na época das chuvas seja melhor… Por outro lado, existe junto das quedas um antigo comboio, que acabou por ser bem mais interessante do que as próprias quedas.

  • Preço: Grátis
  • Tempo: 15 minutos
  • Como lá chegar: São em Nam Tok, junto à estrada. Podem parar lá a caminho do Hellfire pass, ou ao voltar para Kanchanaburi. 
Sak Noi waterfalls - Kanachanaburi waterfalls

Quedas de Erawan

As quedas de água de Erawan são outra coisa… ficam localizadas no parque nacional de Erawan, e são um conjunto de quedas de água de 7 níveis, onde se pode mergulhar, nadar e descansar junto ao rio. A água azul turquesa a deslizar pelos 7 níveis da queda de água e atravessando a densa floresta tropical cria um lugar maravilhoso.

As quedas propriamente ditas, fazem lembrar Plitvice, apesar de serem um pouco menos impressionantes. Por outro lado, aqui é possível nadar e mergulhar, o que não é possível em muitas quedas de água semelhantes. Tudo isto faz com este seja o nosso destino favorito em Kanchanaburi, e um dos melhores da Tailândia. 

Erawan Falls tailandia- Kanachanaburi atracções

A subida pelos níveis das cascatas é bastante fácil e está bem indicada, até ao nível 6. A partir daí é um pouco mais difícil, mas mesmo assim, não de especial, e quase qualquer pessoa conseguirá terminar o trilho. 

As quedas de Erawan não são a atração mais famosa da Tailândia, nem a segunda, ou terceira, mas ainda assim são turísticas. Tudo na Tailândia é turístico. Algumas pessoas acham demasiado turístico, nós achamos que ainda está num nível normal, especialmente se nos lembrarmos que estamos na Tailândia. Assim, não vai ter o lugar só para si, nem perto, mas as cascatas estão espalhadas por entre 1.5km, e as pessoas acabam por se espalhar.

Alguma vez ouviram falar de fish spas? Aqueles onde pomos os pés num aquário e os peixes comem as peles mortas dos pés? Na Tailândia vai ver muitos destes “spas”, especialmente nos mercados, mas não é algo muito atractivo.. Pelo menos para nós! Mas porque estamos a falar disto? Bem, em Erawan podem fazer um fish spa grátis e ao natural! Nos lagos de Erawan os peixes adoram vir comer as peles dos pés dos turistas. Eles literalmente atacam os nossos pés e “mordem” as peles velhas. No início mete um bocado de impressão, faz cócegas até, mas depois habituamo-nos e no fim é até agradável!

Lugares para visitar em Kanchanaburi - quedas de Erawan

Não é permitido levar comida além do segundo nível das quedas, apenas bebidas. Paga-se um depósito de 20 Baht por garrafa que leva. Estas são marcadas e têm de as mostrar quando voltam. Se não o fizer, perdem o depósito. É uma forma bem simples e eficaz de manter as quedas limpas. E funciona, este é dos lugares mais limpos que visitamos na Tailândia.

Resumindo, este foi o nosso dia favorito na Tailândia e aconselhamos toda a gente que vá à Tailândia para tirar um dia para ir a Erawan e desfrutar estas quedas únicas.

  • Preço: 300 baht, para entrar no parque nacional
  • Tempo necessário: esta é uma viagem para o dia completo, incluindo o transporte. Nas quedas aconselhamos 4 ou 5 horas. 
  • Como lá chegar: Apanha o autocarro 8170 (custa 40 Baht), desde a estação de Kanchanaburi. A última paragem deste autocarro são as quedas de água. 
Erawan Falls- o que fazer em kanchanaburi

Ponte sobre o Rio Kwai em Kanchanaburi

A ponte sobre o rio Kwai (Khwae Yai é a principal atracção da cidade de Kanchanaburi. A ponte original foi construída e destruída durante a segunda grande guerra, como parte da acima mencionado death railway. Depois da guerra a ponte foi reconstruída e hoje apenas é usada pelos comboios de/para Nam Tok. Isto significa que a maioria do tempo a ponte está vazia e pode ser visitada e até atravessada a pé.

Pode ser só de nós, mas a possibilidade de atravessar a pé esta ponte é muito excitante. Afinal, quantas vezes nos permitem atravessar a pé uma ponte de comboios cheia de história e num lugar belíssimo? Para nós, é um daqueles simples prazeres da vida e que nos fazer adorar viajar. Porquê? Nem sei bem… só sei que gosto!

O que fazer em Kanchanaburi
  • Preço: grátis
  • Tempo necessário: 1 hora
  • Como lá chegar: Basta caminhar a partir do centro da cidade, ou apanhar um tuk-tuk, se não quiser caminhar!

Onde ficar em Kanchanaburi?

A cidade é bastante pequena, e por isso onde quer que fique, estará perto do que precisa. Ainda assim, achamos que o melhor é tentar ficar numa das guesthouses junto ao rio, ou mesmo em cima do rio! Lá é possível desfrutar das vistas e relaxar um pouco após as aventuras do dia. Existem bastantes, e algumas são bem baratas!

Nós sugerimos a Noble night guesthouse – óptima para casais com um orçamento apertado, ou então a Natee The Riverfront – um hotel mais caro mas também bem mais luxuoso!

Booking.com

Resumindo, o tempo que passamos em Kanchanaburi foi provavelmente o melhor que passamos na Tailândia. Nós preferimos Kanchanaburi às ilhas, a Chiang Mai e a Bangkok. Kanchanaburi é barato, relaxada e tem menos turistas loucos que a maioria da Tailândia. Não nos entenda mal, também a sua quota parte, mas ainda não está completamente tomada de assalto. 

Assim por muito inesperado que seja, Kanchanaburi é o nosso lugar favorito na Tailândia, pelo menos para passar 2 ou 3 dias. Porquê? Tem bastante com que nos entreter, desde história até trilhos e quedas de água.